Apoio ao empreendedor
Pessoas no centro: business to people  |  Login/Cadastre-se

Blog você está em: home / Blog

Se tem cliente, dá para pesquisar

Se tem cliente, dá para pesquisar
1 Jan 17

Última alteração - 03/07/2017 15:31:56

Patrícia Kouzmine, da KZM Reasearch, foi palestrante do sexto encontro da Liga Empreendedora B2P e tratou de um tema extremamente importante para o desenvolvimento das empresas: pesquisa de mercado. Grandes organizações têm investido muito e há muito tempo nessa área, pois pode trazer insights muito valiosos sobre consumidores, além de poupar muito dinheiro. Imagina que triste desperdiçar milhões no lançamento de um produto que o público rejeita? Tem coisa que só dá para saber testando e perguntando. A boa nova, segundo Patrícia, é que a pesquisa de mercado agora é uma ferramenta estratégica bastante acessível para pequenas e médias empresas. “Se tem cliente, dá para pesquisar. Não existe área que não dá para fazer pesquisa. Pesquisar é um contato com o seu cliente ou prospect. Quando feito de forma correta é uma ação valorizada pelo cliente”, explica.
Ela destaca que pesquisa não está somente relacionada a números. Pesquisa de mercado e a coleta sistemática e interpretação de informações sobre pessoas e organizações. Confira as dicas da Patrícia para começar a pesquisar em cinco passos:
1)    Por que farei essa pesquisa?
Essa é uma pergunta que todo empreendedor deve se fazer antes de contratar um serviço ou começar a levantar informações por conta própria. Saber onde quer chegar é fundamental. Outro ponto bastante importante é estar disposto a agir de acordo com os resultados da pesquisa.

2)    Defina um público-alvo
É importante definir com quem a pesquisa será feira. Patrícia observa que o pouco que você pode fazer é melhor do que nada. Foque na qualidade. Uma conversa com calma com dez clientes pode ser mais efetiva do que um questionário disparado para 100.

3)    Escolha que tipo de pesquisa será feita
As pesquisas são normalmente divididas em dois grupos: qualitativa e quantitativa. Uma boa conversa com alguns clientes é uma pesquisa. Uma análise de comentários nas redes sociais sobre a sua categoria, marca, produto ou serviço também é uma pesquisa.

4)    Opte pelos instrumentos de coleta
Há recursos para se fazer pesquisa online e gratuitamente como o Google Forms ou o SurveyMonkey. É preciso avaliar se eles são os mais interessantes ou se é melhor para os seus objetivos fazer uma entrevista em profundidade ou uma combinação de ambos. Também é interessante considerar contratar um serviço ou pedir que outra pessoa faça a entrevista. É uma característica do brasileiro não falar mal diretamente para o dono do negócio. Então, para ter um cenário mais próximo da realidade, é preciso considerar esses detalhes.

5)    Capriche na análise
Tão importante quanto definir objetivos da pesquisa e escolher as perguntas e métodos mais adequados para a coleta é saber interpretar os dados e poder extrair deles insights que podem orientar a tomada de decisões para efetivamente melhorar o negócio.

Patrícia ainda deixa algumas dicas valiosas: “Faça o que dá, faça o que é viável. A pergunta mais real para se medir a satisfação com o negócio é: você recomendaria?”.

Mãos à obra!

Patricia é formada em estatística e sempre trabalhou em pesquisa de mercado. Por mais de 15 anos ela atuou em institutos de pesquisas, nacionais e internacionais, e atendeu diversos tipos de clientes de diferentes setores. Desenhou a KZM Research para atender não só as grandes empresas e institutos internacionais, mas também aos empreendedores, pequenas e médias empresas. http://kzmresearch.com.br/